O que visitar?

É imenso o património arquitetónico e cultural que se pode visitar na região de Ponte de Lima. Veja as nossas sugestões de visita mas se preferir um programa muito especial e exclusivo não deixe de consultar as nossas Experiências Límia!

Chafariz Nobre

Construído no atual Largo Dr. António Magalhães, em 1603, junto a uma das principais portas de entrada na muralha da vila, foi transferido para o Largo de Camões em 1929. O seu risco renascentista e execução são correntemente atribuídos ao famoso Mestre limiano João Lopes, o Moço.
Por ser tão importante a água potável, uma vez que na vila só existia uma fonte e não raras vezes a população se queixava, foi colocada junto ao chafariz uma inscrição num bloco granítico, onde se lêem as coimas aos que o sujassem. 

Castro de Santo Estêvão da Facha

O Castro de Santo Estêvão é um excelente exemplar da Idade do Ferro, conservando algumas habitações visíveis, resultado das intervenções arqueológicas realizadas nos anos finais dos anos 70, início de 80. Daqui foram retiradas cerâmicas que permitem datar a ocupação desde o século VII a.C., altura em que as habitações não seria pétreas. Com uma vista soberba sobre todo o vale da Facha, convidamo-lo a desfrutar da paisagem.

Cruzeiros de Ponte de Lima

As cruzes, vulgarmente denominados cruzeiros, são marcos territoriais importantíssimos no território limiano. Dos mais antigos destacamos o que está no meio do tabuleiro da ponte medieval em Ponte de Lima, o da igreja de Fornelos, o de Almoinha na freguesia de Vitorino das Donas e ainda o da capela de S. Gonçalo em Arcozelo, estes quatro ainda do século XVI; os, da igreja da Correlhã, Senhor da Saúde em Sá, Cárcua em Bertiandos, igreja de Poiares e o que está junto ao caminho de peregrinação para Santiago no lugar da Pedrosa na Correlhã, são já do século XVII. 

Igrejas Românicas de Ponte de Lima

Existem vários vestígios do românico no concelho de Ponte de Lima, com especial destaque para a arquitetura religiosa, salientando-se os três exemplares que apresentamos por serem dos mais representativos, pese embora a sua simplicidade. Obrigam a um olhar mais atento, tendo em atenção os pormenores que se podem apreciar e que caracterizam muito bem o que se pode denominar pela segunda fase do foco românico da região, já em plena transição para o gótico.

Mosteiro e Igreja Paroquial de Refoios

O Mosteiro de Refojos do Lima foi o maior de todos os que existiram na área do actual concelho de Ponte de Lima. É classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1939 e foi adquirido pelo Estado, com afectação permante ao serviço da Igreja Católica, por usucapião.
A Igreja Paroquial de Refoios era parte integrante deste antigo Convento dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho que incluía o edifício contíguo agora transformado em Escola Superior Agrária. 

Pelourinhos de Ponte de Lima

O pelourinho, símbolo de jurisdição municipal, começou por ser designado por picota; local onde se amarravam e se expunham os que não cumprissem a lei. A picota de Ponte de Lima terá existido junto à escadaria que dava acesso à cadeia, hoje largo da Picota, dentro de muros. Só no século XVI terá passado para o exterior, no areal. As cheias do rio iam-no tombando e por isso foi notícia de vários restauros.

Ponte Romana e Ponte Medieval

O ex-libris de Ponte de Lima, que conjuntamente com o rio que banha a vila, deu o nome à localidade, é a sua ponte. Na realidade, é um conjunto formado por duas pontes: um troço medieval, de maior dimensão, que tem início na margem esquerda e se estende até à Igreja de Santo António da Torre Velha e a passa ainda em dois arcos. Depois, o troço que resta da ponte romana. 

Sepultura Medieval e Pedra do Cavalinho

Para quem visita Ponte de Lima, subir ao Monte de Santo Ovídio torna-se obrigatório para realizar a conciliação entre património cultural e património natural, pois a paisagem que se avista do cimo permite-nos ter a perceção das belezas da região e, se quisermos, fazer uma análise da estrutura fundiária, grande parte dela assente em bases medievais, de que são testemunho os muitos muros de antanho que pululam por todo o concelho.

Solares

Berço de um legado histórico ancestral, Ponte de Lima reserva o maior conjunto de Solares barrocos existentes em Portugal. A nobreza da Ribeira Lima tinha uma forte presença no território mas é durante os séculos XVII e XVIII que a arquitectura civil ganha esplendor e dimensão. Fruto das fortunas promovidas pelo açúcar e ouro brasileiros.

Torre da Cadeia Velha e Torre S. Paulo

Classificadas como Imóveis de Interesse Público, assim como o pano de muralha que as une, a Torre da Cadeia Velha e a Torre de S. Paulo (que também já teve o nome de Torre da Expectação e de Torre do Postigo) são os testemunhos mais notórios do que resta da velha muralha de Ponte de Lima, a qual, para além da estrutura amuralhada, era composta por torres e portas, conjunto edificado no reinado de D. Pedro I, no século XIV.  

Torre de Refoios, Paço do Curutelo (Freixo) e Paço de Bertiandos

As construções medievais, ou com vestígios da Idade Média, proliferam por todo o concelho de Ponte de Lima, principalmente se atentarmos a muitos elementos que não passam despercebidos na arquitetura civil, militar e religiosa. 

Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde

Instalado num imóvel classificado como de Interesse Público - a Casa Torreada dos Barbosa Aranha - em pleno Centro Histórico de Ponte de Lima, o Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde pretende contribuir para a promoção do Vinho Verde através da investigação e divulgação do seu lastro patrimonial, bem como para o desenvolvimento e afirmação do enoturismo na Região dos Vinhos Verdes.